6 de julho de 2010

O mundo de Lucas



A qualidade e o domínio do grego comum (chamado «koiné»), o estilo elegante

das passagens que lhe são próprias, a arte de narrar, o facto de assumir
certos processos dos historiadores e escritores gregos, são alguns
indicadores que atestam que Lucas é um homem culto do mundo helenista, isto
é, da civilização grega posterior a Alexandre Magno.


Lucas é uma testemunha da inculturação do Evangelho no mundo grego. O seu
evangelho reflecte a preocupação de transmitir e tornar inteligível e
acessível a mensagem de Cristo para as gentes que não estão familiarizadas
com o universo bíblico no qual Deus se revelou.


Era importante para Lucas inscrever correctamente no curso da história os
acontecimentos que narra para mostrar a sua realidade e verdade. Por isso,
optou por escrever à maneira dos historiadores gregos, tal como anuncia no
prólogo do evangelho. Esclarece o seu método, fornece as suas fontes,
escolhe os seus materiais e fixa o seu objectivo para produzir um relato
ordenado. Esta ordem é, no entanto, mais didáctica que cronólogica, porque o
autor quer transmitir o ensino de Jesus e traçar o retrato do autêntico
discípulo. O mesmo método será igualmente aplicado nos Actos dos Apóstolos,
onde Lucas narra a expansão da evangelização desde Jerusalém até Roma,
coração do Império. (Yves Guillemette, Introduction à l'évangile selon saint
Luc).

Sem comentários:

Enviar um comentário

10 de Julho, venha lá!